1 de novembro de 2015

VENTANIA


... e tudo dançava ao sabor do vento,
com especial beleza,
enquanto uma  forte correnteza
lhe contorcia a alma,
embaralhava suas lembranças e
escondia a suavidade que já habitara seus
intensos momentos de amor ...

... eles não conseguiram se manter
quando chegou a tempestade,
cobrindo de sombras e destroços

 o entardecer de duas vidas


        Marilene










24 comentários:

  1. Linda foto e poesia e há de se saber ficar firmes no amor e em tudo na vida mesmo quando as ventanias sopram... bjs lindo feriadão! chica

    ResponderExcluir
  2. Olá, Marilene! Penso que o amor de verdade, profundo, forte, sobrevive às tempestades e ventanias, quando há maturidade e bem querer... linda foto e inspiração! Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, Marilene.
    Muito linda a foto e a inspiração em poesia.
    Bem verdade que essa ventania quando vem faz um grande estrago e nem sempre o amor sobrevive.
    Parabéns.
    Saiba que o meu tempo anda curto, graças a Deus, mas seu blog, seus espaços, assim como de você, não posso esquecer, ainda que demore.
    Tenha um feriado de paz e um abençoado mês de Novembro.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  4. Marilene

    sua poesia ficou muito bem "casada" com a sua foto.

    meus parabéns...

    um bom domingo!

    beijinho

    :)

    ResponderExcluir
  5. Olá mana,

    Lindo e nostálgico.
    Há amores que não resistem a ventos tempestuosos e deixam marcas profundas pela intensidade com que foram vividos. Ainda que o amor permaneça vivo nos corações, a força deste amor se fragiliza, inviabilizando o recomeço.

    Uma bela foto, que, apesar da beleza, remete à nostalgia versada.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Tantas vezes uma forte tempestade acaba por destruir
    o que em tempos teve especial harmonia, algo que ultimamente
    apenas vagueava à deriva, à espera de um "golpe de misericórdia".
    Bela foto e poema, Marilene.
    xx

    ResponderExcluir
  7. Bonita foto, con esa sensación de movimiento que has conseguido.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  8. Foto-poética, poesia falada nas linhas dos versos, imagens fortes, movimentos,inconstância...dias assim, outros diferentes.Vale descobrir-se a importância das boas raízes que nenhuma ventania arranca.

    Bela passagem,Lene.
    Bjos e um lindo mês pra ti.
    Calu

    ResponderExcluir
  9. Por vezes há realidades assim, que apagam, até o que de bom, ficou do passado... infelizmente!
    Imagem e palavras, numa simbiose perfeita!...
    Como sempre um post admirável!
    Beijos, Marilene! Tenha uma óptima semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  10. A foto combinou perfeitamente com a poesia, Marilene. Sensibilidade pura essa postagem. Bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  11. Preciosas letras acompañando a esa hermosa ventana.
    Besos.

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde, tudo em perfeita sintonia, a foto e o poema são maravilhosas.
    AG

    ResponderExcluir
  13. Apesar do vento, um belíssimo lugar como a foto bem demonstra!

    ResponderExcluir
  14. Boa tarde Marilene,
    A foto é linda,
    que beleza de lugar!
    O poema é muito bonito também.
    Não é todo amor que sobrevive às
    tempestades...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Amiga Marilene, uma foto que prova que há beleza em tudo, até na força e possível destruição do vento, basta saber fotografá-la assim.
    As tempestades da vida podem abalar uma frágil união.

    Um beijinho

    ResponderExcluir
  16. A ventania brinca com as árvores e provoca uma dança linda! Sua foto é testemunha de um momento especial
    Seus poemas sempre me tocam de maneira forte e enche minha alma de inspiração.
    Obrigada e um abraço, de chegada

    ResponderExcluir
  17. A ventania brinca com as árvores e provoca uma dança linda! Sua foto é testemunha de um momento especial
    Seus poemas sempre me tocam de maneira forte e enche minha alma de inspiração.
    Obrigada e um abraço, de chegada

    ResponderExcluir
  18. Muito lindo seus dizeres e imagem, mas se o amor for verdadeiro nenhuma tempestade poderá destruir.
    Um abraço querida amiga Marilene e agradecida por sua visita.

    ResponderExcluir
  19. A tempestade de duas já se tinha desencadeado. Sendo assim as bonitas imagens; a poética e a fotográfica, se transformou numa bonita parábola.
    Reportando-me, embora saiba que ser trabalhador (caipira). Depois carregar a raridade e a humildade de criar inimagináveis obras intelectuais e não só. Poder dizer, nem sei se fiz algo da vida, se foi a vida que fez algo de mim essa será a verdade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. A foto é belíssima, uma paisagem pintada pelo o olhar
    da poetisa (fiquei com vontade de mergulhar na foto (rss))...

    O poema magistralmente pintado, com os pincéis do sentir,
    o cenário da bela dança vivida em um "entardecer de duas vidas"...
    Às vezes a natureza transforma para o novo (dia),
    cenários mais belos a ser vividos...

    Uma sensibilidade adorável, Marilene querida!
    Beijo e abraço de paz.

    ResponderExcluir
  21. Que praia selvagem, Marilene! Bonita por parecer desabitada, ainda!
    Pois é certas coisas não suportam tufões, minuanos, ou qualquer coisa que saia da calmaria. Tempestades não são pra qualquer um, há de ser forte, pés no chão e equilibrado, caso contrário voam junto...
    beijo!

    ResponderExcluir
  22. O vento que tudo leva e canta uma canção às vezes triste ao nossos ouvidos ávidos de uma leve canção.
    E a vida tem destes vendavais, que parecem levar tudo de nós.
    Bonita imagem para a paz e inspiração.
    Bjs.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...