26 de fevereiro de 2016

PEGADAS



Muitos pés já marcaram
os caminhos por onde passamos.
Muitos olhos já se voltaram
para a natureza que nos encanta.
Muitos corpos já se banharam
nas mágicas águas do mar ...
Mas os caminhos desenhados por outros
não nos devem guiar

As pisadas deixadas na areia
não duram um só dia,
logo se vão, substituídas
por outras e outras,
indefinidamente

Devemos tudo observar,

com cautela,
porque precisamos encontrar
as nossas próprias verdades


                Marilene



32 comentários:

  1. E são mesmo as nossas verdades... que devemos seguir... pois elas nos levam por novos caminhos... e não pelos caminhos, que outros já percorreram...
    Palavras assertivas, e que nos fazem reflectir... sobre o poderoso alcance das nossas verdades... combinadas com uma imagem bem a propósito.
    A linha do horizonte, está apenas um nadinha inclinado... algo que me é muito familiar... pois tenho uma série de imagens assim... costumo resolver... dando uma marteladinha nas fotos, com um programa de edição de imagem... :-P que faz rodar as fotos... aparando-as em seguida... e voilá! Problema resolvido!...
    Beijos, Marilene! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  2. Poema lindo de viver.. A imagem é divina!
    Adorei

    Beijo, bom fim de semana.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Cada pessoa nasce com um caminho a percorrer...há que procurá-lo ed nunca seguir o dos outros.

    Belíssimo poema em total sintonia com a magnífica foto.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  4. Boa noite Marilene :)
    Cada pegada é única,
    portanto os rastros deixados por outras pessoas,
    poderão até nos servir de exemplo,
    mas são nossos próprios caminhos
    que precisamos desenhar e seguir.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Sim, as pegadas alheias não devem nos guiar. Linda foto.
    Beijo*

    ResponderExcluir
  6. Nossas pegadas são só nossas
    e com certeza a areia se move e elas somem
    ninguém deixa nada pelas nossas

    Bom final de semana..
    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  7. Como sempre maravilhosa,Marilene! Adoro observar as pegadas na praia,Ver as diferenças dos pés, tamanhos, vê-las indo, outras voltando. Muito lindo ! bjs, ótimo fds! chica

    ResponderExcluir
  8. Boa noite, querida Marilene!
    Vejo, com alegria, o quanto é bom contemplar! Poemas contemplativos me agradam muitíssimo...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  9. O Mar na sua bela profundidade na foto encantadora
    e o Poema a beleza da profundidade do encontro do
    seu próprio caminho, cada um com os seus passos
    no ritmo próprio de Ser!...
    Um final de semana inspirador e feliz!
    Beijos, querida Marilene.

    ResponderExcluir
  10. Embora possamos pisar o mesmo chão, teremos de fazê-lo de forma diversa dos demais, e até a Natureza, bela para todos será diferente de acordo com o olhar que a observa. O nosso olhar particular e único acaba por levar-nos a descobrir a nossa própria verdade.
    Belas pegadas, Marilene.
    Bom fim de semana. Aqui está muito rio, chuva e vento!
    xx

    ResponderExcluir
  11. Olá, Marilene.
    E de quem serão estes pés? De onde vieram, para onde foram?
    O que cada um sentiu ao pisar nessa areia? E o que os olhos viram?

    ResponderExcluir
  12. Imensidão_ mar areal e passantes indo e vindo!
    muito bonito esse conjunto _ suas fotos testemunham...
    e o poema nos remete a reflexão.
    beijos de bom fim de semana Mari

    ResponderExcluir
  13. Oi mana,

    Cada um tem um olhar próprio para cada coisa e um caminho próprio a seguir. Vivências de alguns nem sempre servirão de norte para outros. Somente fazendo as próprias escolhas e colhendo as respectivas consequências seremos capazes de traçar caminhos condizentes com os nossos sonhos e aspirações, além de encontrarmos "as nossas próprias verdades", como você lindamente versou.

    Linda foto.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Concordo com a Vera. Cada um tem o seu norte. E seu poema é tudo de bom.

    ResponderExcluir
  15. A maravilha disso reside no facto das possibilidades serem infinitas. Escolhemos o caminho, mas estamos sempre a tempo de mudar de direcção, de desbravar novos trilhos.
    Linda metáfora.
    Beijinhos, um doce domingo
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
  16. Este teu poema faz-me recordar uma música, também brasileira, que era "Pegadas na Areia". A letra da música acho que era mais ou menos assim:

    “Sonhei que estava andando na praia
    com o Senhor
    e no céu passavam cenas de minha vida.
    Para cada cena que passava,
    percebi que eram deixados dois pares
    de pegadas na areia:
    um era meu e o outro do Senhor.
    Quando a última cena da minha vida
    passou diante de nós, olhei para trás,
    para as pegadas na areia,
    e notei que muitas vezes,
    no caminho da minha vida,
    havia apenas um par de pegadas na areia.
    Notei também que isso aconteceu
    nos momentos mais difíceis
    e angustiantes da minha vida.
    Isso aborreceu-me deveras
    e perguntei então ao meu Senhor:
    – Senhor, tu não me disseste que,
    tendo eu resolvido te seguir,
    tu andarias sempre comigo,
    em todo o caminho?
    Contudo, notei que durante
    as maiores tribulações do meu viver,
    havia apenas um par de pegadas na areia.
    Não compreendo por que nas horas
    em que eu mais necessitava de ti,
    tu me deixaste sozinho.
    O Senhor me respondeu:
    – Meu querido filho.
    Jamais te deixaria nas horas
    de prova e de sofrimento.
    Quando viste na areia,
    apenas um par de pegadas,
    eram as minhas.
    Foi exactamente aí,
    que te carreguei nos braços."

    Beijinhos Mari

    ResponderExcluir
  17. Beautiful poem Marilene, and the picture, fantastic also.

    ResponderExcluir
  18. Caminhos e horizontes que deixam pegadas e sinais... vivências únicas e intransponíveis.
    Belos versos acompanhados de suave imagem.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  19. Linda foto, acompanhada por umas sublimes e refletivas palavras!

    Bj e boa semana

    ResponderExcluir
  20. Boa tarde, Maravilhosa foto com o belo mar que tem muito para contar, as magicas aguas do mar encantam, sua foto pessoal é lindissima.
    AG

    ResponderExcluir
  21. bonitas pegadas em forma de poema, pois é assim que leio o poema e a foto.
    muito bela a postagem.
    boa semana e boas fotos por aí.
    beijo
    :)

    ResponderExcluir
  22. Um trabalho bonito, feito com fotos de qualidade e olhares silenciosos e únicos. Parabéns.

    ResponderExcluir
  23. Bonita imagen, con los tres componentes, tierra, mar y cielo unidos en una sola toma.Bonitas letras para acompañarla.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  24. Passando novamente, só para avisar, Marilene, de que nos próximos dias, nomearei este seu blog, para um prémio, que também me foi atribuído...
    Beijinhos! Tudo de bom!
    Ana

    ResponderExcluir
  25. Marilene,

    Você diz com sabedoria, no seu canto ("Pegadas"), que em nosso caminhar "precisamos encontrar as nossas próprias verdades". Nada mais certo, Marilene; e é na longa caminhada que podemos nos tornar sábio.

    Abraços

    ResponderExcluir
  26. A fotografia, de imediato, me chamou a atenção pela beleza, pelo ângulo focado, pela perfeição do encontro do mar com o horizonte, da areia com a espuma... Tudo coordenadamente tão belo, tão perfeito, que fiquei por um bom tempo a contemplar como se estivesse frente à paisagem. A areia dourada inundada de pegadas fez um belo contraste com as nuances do branco da espuma com os tons de azul de mar e céu. Tão suavemente linda que poderia ser uma aquarela por ti criada. Como sempre, minha linda, o teu olhar nos trazendo com extremo cuidado o que a tua alma captou no momento de focar.
    Realmente, nunca somos iguais ao pisar o mesmo caminho duas vezes. É um clichê, mas diz bem das mutações que estamos expostos em nossas vivências, e de como as pegadas dos outros não nos servem nos pés, pois se nem mesmo as nossas nos conduzem da mesma forma quando temos que percorrer o mesmo caminho duas vezes.
    Só me resta, meu anjo, agradecer pelo momento mágico na contemplação da foto e pelos edificantes e conclusivos versos das nossas pegadas pela vida.
    Nos sorrisos, milhares de estrelas, e nos dois, o meu carinho e admiração pela pessoa linda que tu és,
    Helena

    ResponderExcluir
  27. E é mais difícil encontrar do que se imagina, Marilene... bjs

    ResponderExcluir
  28. Sim, encontrar as nossas próprias pisadas, usar de nosso olhar, pensar com nossa cabeça. Isso evitará muitos dissabores e alguns Rivotril... Nascemos livres, depois é que fizemos laços e nos enroscamos em palavras e atitudes alheias, muitas vezes inconvenientes.
    Beleza de postagem, e que mar...
    Beijão!

    ResponderExcluir
  29. Olá, marilene.

    "os caminhos pisados por outros não nos devem guiar" - pois não. Às vezes, nem às nossas próprias pegadas devemos seguir, sob risco de cometermos os mesmos erros, não?
    Se a gente pudesse apagar "as pegadas na vida" com a mesma facilidade com que se apagam as pegadas na areia, se a gente pudesse refazer. ;)
    Foto bonita e sugestiva. Estou mesmo a imaginar você ali olhando as pegadas e juntando as palavras na sua cabeça...

    bj amg

    ResponderExcluir
  30. Sábias palavras minha amiga.
    Uma foto que parece uma tela de tão perfeita.

    Um beijinho

    ResponderExcluir
  31. Querida Marilene: além de belo e muito bem conseguido, o texto/legenda é um valor de profundo alcance. Subscrevo-o!
    A foto? Fantástica, como sempre!
    BJO :)

    ResponderExcluir
  32. Mar e encanto e uma reflexão precisa e necessária sempre.
    Lindo combo minha poetisa.
    Bjs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...